Juninho Dias discute falta de água no pós-Anhanguera com Omar e DAE

Publicado em: 06 de dezembro de 2018

Selecione a Imagem

 

O vereador Juninho reuniu-se na quarta-feira (5) com o prefeito de Americana Omar Najar, o diretor geral do Departamento de Água e Esgoto de Americana (DAE), Carlos Cesar Gimenez Zappia, o diretor administrativo da autarquia, Marcos Eduardo Morelli, e o assessor de comunicação do DAE Francisco Rangel, para discutir a questão da falta d’água na região do pós-Anhanguera.

 

Durante o encontro, Juninho apresentou questionamentos ao Poder Executivo e cobrou soluções urgentes para o problema. “É um problema que a população do pós-Anhanguera sofre há muitos anos. Nenhuma melhoria foi realizada para a demanda da região, que cresceu de forma rápida ao longo desses anos. Todo o sistema que há hoje não é suficiente para a quantidade de pessoas”, disse.

 

“Toda a parte do DAE daquela região foi abandonada. Por mais de vinte anos aqueles bairros tiveram grande crescimento e nenhuma melhoria foi realizada. A adutora deveria ter sido trocada nos anos 90”, enfatizou o prefeito.

 

Segundo o DAE, a mesma tubulação abastece todos os bairros da região e também o São Vito. Nos problemas ocorridos em qualquer dos bairros do pós-Anhanguera, todos os outros interligados pela mesma adutora são afetados. Ainda de acordo com os diretores da autarquia, as causas da falta d’água na região são os rompimentos frequentes na adutora, a falta de capacidade dos reservatórios devido ao grande crescimento da população, a falta de investimentos ao longo dos anos para acompanhar a demanda e as constantes quedas de energia.    

 

Na reunião, Juninho foi informado de que uma das soluções que a prefeitura já está trabalhando é a implantação de uma caixa de controle para ‘separar’ o abastecimento desses bairros. A previsão para a instalação é o primeiro trimestre de 2019. “Com essa caixa de controle, quando houver uma ocorrência em algum dos bairros do pós-Anhanguera, eles vão conseguir ‘isolar’ o problema para que não afete os outros bairros, como acontece hoje”, concluiu Juninho Dias.

 

Além disso, já estão em andamento estudos para a troca da adutora que abastece a região e novos reservatórios. A primeira fase da obra está avaliada em R$18 milhões, e a obra total em aproximadamente R$39 milhões.


Escrito por: Coordenadoria de Comunicação

Categoria: Juninho Dias

Compartilhe essa notícia

Notícias Relacionadas