Câmara entrega medalha “Herbert de Souza” a Rosa Simões de Oliveira em sessão solene nesta segunda

Publicado em: 16 de maio de 2016

Selecione a Imagem

 

A Câmara Municipal de Americana realiza nesta segunda-feira (16) sessão solene para a entrega de medalha de mérito “Herbert de Souza – Betinho” à senhora Rosa Aparecida Simões de Oliveira, pelos relevantes serviços de cunho social prestados ao município.

A homenagem foi motivada por projeto de decreto legislativo de autoria do presidente da Casa, vereador Pedro Peol (PV). A solenidade acontece no Plenário “Dr. Antonio Álvares Lobo” a partir das 19h30, é aberta ao público e será transmitida ao vivo pela TV Câmara (canal 4 da NET).

A honraria medalha “Herbert de Souza” foi instituída em 2008 na Câmara Municipal, através de decreto legislativo de autoria do vereador Oswaldo Nogueira. O objetivo é homenagear as pessoas e instituições que se destacaram na área social e mobilização popular.

Rosa Aparecida Simões de Oliveira

Rosa Aparecida Simões de Oliveira nasceu em 11 de Setembro de 1949, é esposa e Douglas Simões de Oliveira e mãe de Douglas Simões de Oliveira Junior, Renato Simões de Oliveira e Ricardo Simões de Oliveira. Avó de Sofia Souza Oliveira e Mariana Rodrigues de Oliveira, de quatro anos e Pedro Henrique de Souza Oliveira, de oito anos.

 

Descobriu ter câncer de mama muito tempo depois do início dos primeiros sintomas do tumor que, a princípio, foram tratados como nódulo de leite. Seus filhos tinham treze, onze o oito anos na época em que descobriu e a tensão da incerteza sobre a recuperação foi motivo de desespero e muita tristeza.

 

Além do apoio fundamental de sua família, Rosa teve o amparo do médico Dr. Emerson Assis, também símbolo da luta contra o câncer em Americana, sendo este, peça fundamental para encorajá-la ao difícil tratamento e, principalmente, na força emocional que é lidar com o câncer. Depois de passar pela mastectomia radical, enfrentou oito sessões de quimioterapia e, com elas, conheceu todas as aflições do tratamento.

 

Depois da cirurgia, Rosa não procurou por reconstrução mamária graças ao apoio do esposo e, após todo o sofrimento, medo e fé, se curou. Rosa conta que, no momento da descoberta da doença, o sentimento único de pedido à Deus era ver seu filho caçula crescido e, felizmente, pode acompanhar sua trajetória e ver de perto o homem que se tornou.

 

Na busca por uma forma de diminuir esse estigma tão cruel do câncer de mama é que Rosa e seu médico começaram a amadurecer a ideia de criar um grupo de pacientes, hoje conhecido como Grupo Reviver, fundado oficialmente em 1998. Nesses quase 20 anos, o grupo foi fundamental na vida de muitas pacientes. Com casamentos desfeitos, dores e dúvidas, muitas mulheres foram amparadas pelo Reviver, que passou a simbolizar outra forma de encarar a doença.

 

O próprio contato e troca de experiências com os integrantes do grupo é uma ótima ferramenta para a esperança. Com a cura de Rosa, a sua filosofia de felicidade e de alegria de viver tornaram-se exemplos para outras pacientes. Com o movimento Pense Rosa e a efetivação das ações de prevenção, sua luta e a do Grupo Reviver colhem bons frutos cada vez mais. Para ela, existem algumas indicações fundamentais para evitar o câncer e a primeira é a prevenção.

 

 


Escrito por: Assessoria de Comunicação

Categoria: Sessões Solenes

Compartilhe essa notícia

Notícias Relacionadas