Brasão Atual

Lei Municipal nº 3.152, de 17 de Abril de 1998, que "adota novo brasão de armas do Município" - EM VIGOR. "Artigo 1º - Fica o escudo anexo adotado como novo Brasão de Armas do Município, com a seguinte descrição heráldica: Escudo ibérico em goles (vermelho) tendo em chefe a Cruz de Santo Antônio - TAU - (representando o Santo Padroeiro); ao centro, uma colmeia entre duas abelhas (representando o trabalho de todas as colônias); em ponta, dois machados em aspa (representando a fazenda que deu origem ao primeiro núcleo urbano); no centro, a sinistro uma roca (representando a atividade têxtil) e a destro um arado (representando a colaboração dos norte-americanos), tudo em ouro. O escudo é encimado por uma coroa mural de prata, tendo suas portas abertas em goles (vermelho). Como suporte a destro um galho de café frutificado ao natural e a sinistro uma haste de algodão florido, também ao natural (representando as culturas do início), entrecruzados em ponte sobre os quais se sobrepõe um listel de goles (vermelho) tendo a divisa "Ex Labore Dulcedo" em letras de ouro." A aprovação do projeto de lei que instituiu o novo Brasão de Armas de Americana aconteceu nesta Legislatura. A Exposição de Motivos da propositura, de iniciativa do Poder Executivo, diz o seguinte: Com base em trabalho finalizado por comissão especialmente constituída para a realização de estudos visando a adequação dos símbolos do Município e a instituição do Hino Municipal , dentre estes, o Brasão de Armas, conforme Portaria nº 2.849, de 27 de agosto de 1993, propomos a alteração referida. O atual símbolo, definido no texto da Lei nº 1.408, de 03 de novembro de 1975, foi objeto de pesquisa por parte dos membros indicados no citado ato administrativo, juntamente com a participação de técnicos especializados em heráldica, de onde resultou a escolha de uma das propostas, cujo desenho segue anexo ao presente Projeto de Lei. Firmando a decisão da comissão a que nos referimos, seguem cópias das atas das reuniões ocorridas nos dias 21 de junho e 08 de setembro de 1994. Segundo justificativas de integrantes da comissão especial de estudos, o atual Brasão de Armas somente homenageia a imigração norte-americana, esquecendo-se que o desenvolvimento de nossa cidade decorreu da presença de outras nacionalidades, quando podemos citar o povo judeu, os portugueses, italianos, espanhóis, alemães, os sírios, dinamarqueses, os povos árabes, entre outros. Lembramos também a raça negra que tem dado ao Município importante contribuição cultural e econômica. Não podemos negar a significativa influência desses povos na formação de hábitos e na manutenção de certas tradições, ainda constantes na vida cotidiana de Americana. Como pode ser verificado no parágrafo único do artigo 2º da Lei Orgânica do Município, na elaboração dos símbolos do Município de Americana, o Brasão de Armas, a Bandeira e outros estabelecidos em lei municipal, dever-se-á contemplar a lembrança dos povos que fundaram e desenvolveram a comunidade da cidade. Portanto, é uma justa correção do símbolo que representa os primórdios da constituição da cidade, encimada nos elementos de sua fundação, que pretendemos ver concretizada .